quinta-feira, 5 de abril de 2012

Devaneio proibido


 
Fotografia: Carmem Dalmazo


Deixa-me sonhar-te,
adiar-te o despertar,
abrir-te as frestas da paixão,
mergulhar-te entre as noites quietas,
enquanto os gestos que oculto,
se derramam nas camas desertas.

Deixa-me sonhar-te,
perder-me no teu rosto,
porque o vento não deixa,
misturar-te nos beijos que faço
e que as folhas do tempo,
se aconcheguem no meu braço.

Deixa-me sonhar-te,
abandonar-me no teu colo,
fingir que os meus olhos dormem,
quando o silêncio chamar,
o meu devaneio proibido,
de onde não quero acordar.


Texto: Victor Gil

9 comentários:

Carmem disse...

Victor...
Fico imensamente agradecida pelo carinho. Os teus blogs são de uma beleza incrível, tu é uma pessoa extremamente sensível e tem o dom da poesia, e isso é muito bom.
O poema é lindo!... E esteja a vontade para usar as fotos.
Abraço e volte sempre que quiser.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Lindas palavras Victor! É um prazer para a alma fazer-mos soar estas poesias!
Parabéns tb à Carmem pela linda foto!
Abraço
Rui

Tais Luso disse...

Amigo Gil, quanta beleza existe nestes versos! Você é a poesia!!!
Belíssima foto, parece uma pintura...

beijo, amigo!
tais

lichazul...elisa disse...

por lo que entendí es un poema apasionado y enamorado , sus versos son muy vivos

un abrazo Victor
y feliz feliz fin de semana

Dalinha Catunda disse...

Olá Gil,
É tão bom ver você de volta comentando em meu blog, melhor ainda é voltar ao seu espaço e ver esta paixão que você põe em teus poemas encantando inevitavelmente quem chega até aqui para ler.
Meu abraço carinhoso,
Dalinha

Sônia Brandão disse...

Tão bom sonhar assim. Vontade de que o sonho se prolongue.

bj

lichazul...elisa disse...

abrazooo y felicidades para ti también Pedro

lichazul...elisa disse...

VICTOR VICTOR
ahora sí jajaj
abrazoooo

RosanAzul disse...

..."Sonha-me então.
Abandona o teu pensar no meu silêncio.
Mas não me fales em sonho proibido
Pois se amar assim é tão errado
Eu pago o tal preço do pecado
Pois este sonho de amor estou vivendo..."

Lindo versos!
Beijos,
ro