terça-feira, 27 de abril de 2010

Amar, é o Amor...

Foto: Sônia Brandão

Amar é brado, é revolta,
é grito de gaivota,
barco ancorado.
É rio correndo à solta,
margens devoradas,
águas sem retorno.

Amar é vento na rua
que entrança as cortinas,
que encolhe os caminhos.
É estremecer sem saber,
que os ruídos se prolongam,
sem limites ou espinhos.

Amar, é o amor sem fronteiras,
sem retorno ou passado,
é meu barco quebrado.
É andar à deriva,
se a razão é verdadeira,
sem quilha, leme ou vela.

Sentir na chama da lua,
uma mensagem distante,
que leva a sua luz brilhante,
junto da tua janela.


Texto: Victor Gil

16 comentários:

FERNANDINHA & POEMAS disse...

QUERIDO AMIGO VITOR, BELÍSSIMO TEXTO POÉTICO... ADOREI !
UMA BOA NOITE DE PAZ... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Mª Angeles y Jose disse...

precioso lleno de ternura y mucha belleza.

Besos

Lídia Borges disse...

Aqui o verbo se expande, foge das margens e inunda a alma.

Obrigada!

Sônia Brandão disse...

Querido Victor,
fiquei feliz por ter a minha foto aqui fazendo companhia a seu lindo poema.
Obrigada.
bjs

elisa...lichazul disse...

sencillamente tierno y musical!!
Felicitaciones Víctor, en las sencillez de toda creación está la sabiduría dicen:=)

besitos de luz

LOURO disse...

Olá Victor!

Boa Postagem...com um texto/poético
com muito amor...Gostei!!!

Abraço,
Lourenço

RosanAzul disse...

Gil querido,

Nesse amor sem fronteiras
o tempo e a distância
fazem as trincheiras
que nos separam
em campo de guerra
pedra sobre pedra
sonha nosso amor
em asas libertas...

Lindo teu poema...
um beijo com carinho,
Ro

Hellag disse...

amarrados para sempre e em qualquer lugar! bem escolhida a imagem para tais palavras, um abraço amigo :)

lusibero disse...

Victor: amar é tudo e não é nada, como afirmava Camões, mas... preenche-nos a vida!
ABRAÇO DE
LUSIBERO

Fátima disse...

Um belo texto de amor!! falando desse sentimento, que levanta diversos pensamentos, e um deles é que sem ele não haveria tanta graça na vida.

Nas minhas andanças de blog em blog encontrei o teu, se não se importa vou ficar por aqui. Abraço, Fátima

Sonia Schmorantz disse...

Linda esta imagem da Sônia, e um poema de grande inspiração!
abraço, ótima semana

Tais Luso disse...

Amar é um tumulto, é inquietação, é desordem; mas também pode ser tão leve que não incomode; pode ser a paz que almejamos, pode ter asas e ser um anjo; pode ser tão leve como plumas soltas ao vento. Pode?

Bjs, amigo
Tais Luso

Paula disse...

Muito bonito o poema...amar é de facto bastante complexo...
Abraço

Branca disse...

Estamos sujeitos a inúmeros sobressaltos quando amamos, mas o bom do amor é isso, é saber e ao mesmo tempo não saber o que vai acontecer, é o imprevisto.
Tudo muito certinho, muito monótono, enjoa.

Saudades,
bjo Victor!

Dalinha Catunda disse...

Ola Victor,
Viajei, voltei e estou aqui para reler meu amigo querido que é um fonte inesgotável de belos poemas.
Parabéns por essa criatividade e emoção que borotam de você,
Um abraço carinhoso,
Dalinha

Endim Mawess disse...

amor nunca é demais pra ler, flar e fazer. gostei do seu texto principalmente o 1º e o ultimo verso